segunda-feira, junho 05, 2017

Chegou a Hora de Acabar














Pleasuredome na Blogosfera desde Junho de 2005. Chegou a hora de me despedir deste espaço.
O primeiro Pleasuredome começou Aqui, já lá vão doze anos, ainda eu era um teenager inconsciente, um moço de pouco mais de 20 e tal anos, mais para os trinta, por aí. Cresci, casei-me, divorciei-me, ganhei e perdi empregos. As crises existenciais passaram por aqui, tendo este blog fechado portas algumas vezes, devido a essas mesmas crises.

Despeço-me de todos, aqueles, vocês sabem quem. Só por vocês valeu a pena.
Este espaço encerra definitivamente e para sempre hoje.
Abraço

Know When to Hit the Pause Button

 Hit the Pause Button
Here are some easy ways for putting more “pause” into your workday:

Sending emails. In our work, how often do we fire off emails without really thinking about what’s being said, how it’s being said, how professional the message is, whether we are truly communicating what’s intended, and how well the message supports our Vital Goals? It happens all the time. People rush to send out a message because they’re either in a hurry or reacting emotionally, both of which can have serious consequences. After all, once it’s sent, it is sent. So here’s a tip: You’ve got a draft folder, so use it. If you’re in doubt about whether it’s the right email to send or the right time to send it, use your willpower and put that email in that handy folder. Let it sit for a bit, then revisit it before you hit “send.” Make sure that you’re saying what you mean and meaning what you say—and that your professional communications align with your goals.



Pensar antes de enviar. Regra fudamental. 

late evening, dark room




Once upon a time...
late evening, dark room, a bed behind your back, computer is in front of you.
in your computer, Internet and an interlocutor.
it is supposed that he looks like Jude Law or Clive Owen.
you do not see his face and other parts of body, do not hear voice, do not feel smell.
you’ve got only words he writes to you and which you type in an answer.
if you read words "hands", "lips", "skin" often, "neck", "tongue" and verbs "touch",
"get in” - this is virtual sex.

virtual sex
música de fundo, esta. ouves? são os Gotan project, Last Tango in Paris, viste o filme?



listen to the music, add a webcam, now:
- estou a ver-te
- estás a lamber os lábios
- rodas o pescoço para a esquerda
- desaperta a blusa. não. desce a alça da t-shirt

agora, tens de saber como me acompanhar. diz-me coisas.
- tais como?
- o que quiseres
- há muito tempo que te queria conhecer
- ok, já conheces. aqui.
- és casado?
- aqui essa pergunta não é válida
- és sexy
- isso não interessa. continua.
- o quê?
- o que estás a fazer. masturba-te, para eu ver.
- e tu?
- diz-me que queres. diz-me que queres.
- quero.
- diz: quero que te masturbes para mim
- quero que te masturbes para mim...
- continuas a ouvir a música?
- continuo
- vou fazer ao ritmo. olha para mim. estás excitada?
- sim, muito.

censored

- então ?
- não há ninguém como tu...

fotos DAQUI

terça-feira, maio 30, 2017

C'est pas ma faute


C'est pas ma faute
Et quand je donne ma langue aux chats
Je vois les autres
Tout prêts à se jeter sur moi
C'est pas ma faute à moi

segunda-feira, maio 29, 2017

The Perfect Stranger

Græ Andresen
um era inteligente, gostava de mulheres, ardente, meigo, culto. falava de livros, cinema, política.
o outro era belo, amava as mulheres e gostava de homens. tinha aquele senso de humor próprio dos
loucos. amou essa mulher esquecendo os outros homens. esses outros a quem extorquia dinheiro em troca da boa foda em noites quentes de profunda inquietação.
  
No meio havia essa mulher. Os dois homens empalideciam quando a viam, havia nela o desejo de ser
dos dois. Dançavam nus debaixo do fogo no olhar dos dois homens. 

um deles era eu. ainda hoje, ao vê-la, empalideço, enquanto o meu corpo clama por ela.
as lembranças de ser um dia...

sábado, maio 27, 2017

must be love


the2
a tua boca ainda impregnada do frenesim de me teres dentro
num estado de excitação, nessa impaciência.
agachado sobre ti, o pénis hirto, os teus cabelos revoltos, digo come-me,
digo come-me. eu a investir, enquanto a tua boca fêmea obedecia aos
meus primitivos desejos.
a tua submissão ao meu desejo, ao meu ritmo.
eu a sentir todo o meu corpo, como se a pele fosse uma mão.
digo volúpia, digo luxuria, digo tesão,
digo must be love.

"quanto t’amo secondo te quanto?
in chili quanto t’amo?
il litri quanto t’amo?
quanto t’amo in metri?
quanto, dimmi quanto secondo te quanto
in iarde? (una iarda è 0,9144 metri)
quindi quanto t’amo in iarde secondo te?
e secondo te quanto t’amo in megatoni?
in mele?
in api?
in camions?
ma secondo te è possibile amarti in cani?
in cani ad esempio quanto t’amo in cani?
in fuchi?
in biglie?
in polpastrelli?
in delta di fiumi?

quanti delta di fiumi abbisognamio per esprimere quanto io t’amo?"
(Catalano)

poema deixado em comentário
por Joana Lunar


All Rights Reserved
take2
engole-me

quarta-feira, maio 24, 2017












«Se a vida te der mãos, masturba-te»

A frase é de Pedro Chagas Freitas
As fotos são de Sanne Sannes, Eikoh HosoeJakob Tuggener,Evgeny Brook  

segunda-feira, maio 22, 2017

agent provocateur

teasing...

fornicação em directo


os meus vizinhos do primeiro fodem comó caraças
estão agora a foder e mais parecem rolas a arrulhar,
ele bateu a porta com força assim que entrou em casa,
partiu para cima dela, eu ouvi. ela empurrou a porta do
quarto e ainda disse; Tou grávida. Caraças.

ó caralho ó caralho
os dois nem o jornal da oito, nem nada
estão na maior das fodas, com gritos, ela já se veio umas
três vezes e eu aqui em cima, tenho de levar com eles.
já bati palmas e gritei: Bravo. Bravo.
tossi e disse. epá eu tou aqui, haja respeito.

será que eles me ouvem? ponto de interrogação.
ele tá quase a vir-se, a cama anda num virote...
só depois das 24 horas, grito eu.
isso é pra maiores de 21 anos pá!
Pensei que se iam bater, mas não. Estão-se a comer.

Ó caralho! Ó caralho!







quarta-feira, maio 17, 2017

she wanted it all







she wanted it all, love and lust,
the deepest of kisses, the most 
savage of fucks. come, he said

comme un désir ressuscité


Já disse tudo o que tinha a dizer.
O caralho não se fez só para entrar de rompante numa cona gostosa.
A arte de foder é muito mais do que um caralho e uma cona
aos encontrões pelas esquinas da vida.
Para me vir melhor, quem sabe és tu.
E tu sabes, agora não posso, quem me dera,
logo à noite, que sorte vai ser inclinar-me sobre o teu corpo
e sorvê-lo com uma palhinha.
Andava há anos para te dizer isto. Aqui.

Arquivo do blogue